Zema faz virada na comunicação e sela paz com mídia tradicional

Sob pressão, governador entrega a gestão da comunicação a profissional do mercado e retoma gastos com publicidade para tirar veículos do sufoco.

Por Raquel Faria, em Os Novos Inconfidentes

No cargo há 40 dias, o subsecretário de Comunicação do governo Zema, Roberto Bastianetto, vai promovendo uma mudança de 180 graus na pasta. Os investimentos em propaganda, antes congelados, foram retomados. Esta semana começou a ser veiculada a 1ª campanha publicitária da nova gestão, sobre vacinação contra gripe. São R$ 2 milhões que vão irrigar os jornais, rádios, TVs, portais e sites. Zema continua com suas lives nas redes sociais. Mas, já escancarou o governo para a comunicação tradicional que tanto rejeitou. E com isso selou a paz com o poderoso setor de mídia.

O novo subsecretário está com a corda toda. Profissional experiente e bem relacionado no seu meio, Bastianetto assumiu com as bênçãos do mercado em peso. E ainda com forte apadrinhamento político: segundo o jornal O Tempo, seu nome teve indicação do vice-governador Paulo Brant e aval do secretário-geral Igor Mascarenhas – braço direito do governador e membro mais poderoso do alto escalão.

Bastianetto substituiu o marqueteiro André Waxman, que foi indicado pelo consultor político Leandro Grôppo, estrategista da campanha de Zema em 2018. Enquanto se orientou por Waxman, o governador apostou todas as fichas na internet para se comunicar com o povo. Tentou romper com um padrão de comunicação em vigor há décadas, baseado em gastos milionários com publicidade. As intenções podiam ser as melhores: poupar recursos. Mas não deu certo. Pressões internas e externas forçaram o governo a mudar de curso. E voltar atrás.

Nos dois primeiros meses de Zema, os gastos com publicidade oficial ficaram congelados; conforme publicou Os Novos Inconfidentes, não foi realizada nenhuma das quatro grandes campanhas de mídia que se tornaram tradicionais no início do ano (cadastro escolar, prevenção da dengue e da Aids e pagamento do IPVA). O que levou empresas de comunicação à mingua e colocou Zena em rota de colisão com todos no setor: agências de publicidade, fornecedores de serviços e veículos (jornais, rádios e TVs). Na queda de braço, ganhou o mercado.

Bastinetto está agradando em cheio o setor. Tem se reunido ou feito contatos com empresários e profissionais. Esta semana, promoveu um encontro do governador com chefes de redações de praticamente todos os veículos de imprensa, tradicionais e digitais. Em suma, o novo subsecretário botou o governo para conversar e interagir com a imprensa. E o mais relevante, sob todos os interessados, inclusive os contribuintes: ele conseguiu soltar uma campanha que está colocando R$ 2 milhões no mercado de comunicação. Um grande alívio que deve afastar a corda do pescoço de muitos empresários. Ao menos, por algum tempo. O grande desafio de Bastinetto será manter os investimentos em mídia, com os cofres do governo cada vez mais secos.

(Publicado em Os Novos Inconfidentes.)

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[6/5/19]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *