Raimundo Rodrigues Pereira lança livro e projeto de um novo jornal nesta quarta 6/6, na Casa do Jornalista

O jornalista Raimundo Rodrigues Pereira estará em Belo Horizonte esta semana para apresentar um novo semanário, comprometido com os interesses nacionais, democráticos e populares. Editor dos extintos jornais Opinião e Movimento e da revista Realidade, Raimundo já esteve em Brasília, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Paraná expondo o cronograma de implantação do novo jornal. Sua agenda tem reuniões marcadas também em Pernambuco, Ceará, Santa Catarina e Maranhão.

O projeto do semanário foi lançado em dezembro de 2016. Em janeiro de 2017, Raimundo esteve em Belo Horizonte para a primeira reunião com  jornalistas mineiros. Desta vez, a programação prevê lançamento do livro “As contas do Brasil são da sua conta”, precedido de apresentação do projeto do jornal, no dia 6/6, quarta-feira, às 19h, na Casa do Jornalista (Avenida Álvares Cabral, 400, Centro).

No dia 7/6, quinta-feira, às 19h, também na Casa do Jornalista, haverá reunião dos atuais cotistas e colaboradores do novo semanário, aberta a interessados e potenciais colaboradores. No encontro haverá um balanço do que foi feito até agora e exposição dos próximos passos para a criação do jornal.

Sobre o livro

As contas do Brasil são da nossa conta? O jornalista Raimundo Rodrigues Pereira, ex-editor de algumas das publicações mais importantes do país, como as revistas Realidade e Retrato do Brasil e os jornais Opinião e Movimento, acha que sim, e por isso está lançando o livro “As contas do Brasil são da sua conta”, no qual discute o papel da dependência financeira do país nas constantes crises que se abatem de forma virulenta sobre a vida nacional, com graves consequências para o atraso e as desigualdades sociais.

Publicado pela Editora Manifesto, o livro reúne 10 relevantes artigos escritos por diferentes jornalistas em diferentes publicações, entre 1972 e 2014, abordando vários aspectos desta importante questão. O primeiro artigo é “A dívida como estratégia”, do jornalista e economista Marcos Gomes. Publicado em 1972 no Opinião, com o título “Dívida externa do Brasil: dez bilhões de dólares!”, o artigo desmitifica o chamado “milagre econômico brasileiro” da ditadura militar, sua enorme dependência de capital estrangeiro e o consequente endividamento do País em um momento em que nem os mais progressistas economistas brasileiros davam importância ao tema.

Dois artigos assinados pelo falecido deputado Sérgio Miranda – “Estado, dinheiro e riqueza” e “O plano no fundo do poço” – mostram como essa política levou a enormes e dolorosas crises, em 1981, 1982 e 1983, durante o último governo militar, e quebrou o País duas vezes, no governo FHC.

“O grande inquérito”, da jornalista Lia Imanishi Rodrigues, publicado em 2004 na revista Reportagem, mostra os mecanismos pelos quais um conjunto de leis e portarias do Banco Central são feitas, desde o governo FHC, “sob medida para facilitar a fuga de dinheiro do País”, um crime de lesa pátria cometido a luz do dia.

“Uma manipulação extraordinária”, do próprio RRP, revela como o Banco Central, à revelia do Congresso e de forma totalmente ilegal e criminosa, mudou totalmente os mecanismos de controle das divisas do País, facilitando a evasão de divisas a ponto deste conjunto de regras ser conhecido pelos operadores de moeda como “a cartilha da sacanagem cambial”.

“No mundo do dinheiro graúdo”, publicado também em 2014, mostra o funcionamento do open market do Banco Central, que, supostamente, deveria controlar a taxa de juros do País, mas que a transforma num instrumento de espoliação do capital financeiro internacional sobre as demais atividades econômica e toda a nação.

O artigo “Dívida externa”, do jornalista Álvaro Caropreso, publicado em 1986, relata o caso exemplar das cooperativas gaúchas da Centrasul que, em histórico processo contra o Bank of América, conseguiram o cancelamento de um pedaço da dívida externa brasileira em um tribunal americano. O episódio mostra a urgência de se fazer uma auditagem da dívida e expõe com clareza a necessidade da existência de mecanismos de defesa das fronteiras econômicas e financeiras do País, arrebentados durante a ditadura militar e o governo FHC.

O artigo “A maldita dependência”, publicado em janeiro de 2014, na revista Retrato do Brasil, mostra que “os grilhões da velha dependência financeira e tecnológica do País, após breve período de trégua, voltam a incomodar e a ameaçar o país de novas, maiores e mais profundas crises econômicas, sociais e, em consequência, políticas”, como a que estamos assistindo atualmente.

No artigo “Ainda sem rumo”, de 2010, os jornalistas Marcos Montenegro e RRP mostram que o País ainda não reencontrou o caminho do desenvolvimento independente e soberano, do qual foi afastado durante a ditadura, e que, apesar de “25 anos de Nova República, está em rota de novas crises.

Finalmente, o artigo “É hora de mudar de rumo”, de 2014, alerta que “as contas externas brasileiras parecem seguir um caminho perigoso, que pode conduzir a nova crise do mesmo tipo das que levaram o País a quebrar em 1982 e em 1998, e ainda piores e mais devastadoras.

[4/6/18]

Veja também

Câmara de Aracaju aprova exigência de diploma para jornalistas no poder público municipal

A Câmara Municipal de Aracaju (SE) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira 21/10, em sessão remota ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *