Maioria dos jornalistas em assessorias no Rio de Janeiro trabalha mais do que permite a lei, revela pesquisa

A maioria dos jornalistas em assessorias de imprensa e de comunicação do Rio trabalha além das sete horas diárias permitidas pela lei para a categoria, revela pesquisa inédita do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ) sobre as condições de trabalho e salário nas assessorias da cidade. Dos 90 jornalistas que responderam ao questionário online entre os dias 13 de abril e 8 de maio, 79,78% disseram trabalhar acima do limite da jornada legal da profissão. Outros 10% afirmaram trabalhar sete horas; 5,62% dizem cumprir expediente de cinco horas diárias e 4,49% trabalham seis horas por dia. A legislação prevê jornada de trabalho diária de cinco horas para jornalistas, com possibilidade de extensão por, no máximo, mais duas horas extras.

Para driblar a lei e fazer o funcionário trabalhar além do permitido, muitas empresas têm evitado contratar o profissional como jornalista com registro profissional – o que obrigaria o cumprimento da jornada legal de cinco horas. Na pesquisa, 66,29% dos trabalhadores informaram não terem sido contratados como jornalistas em seus locais de trabalho. Os cargos descritos em contrato são vários: desde analista de comunicação a executivo de marketing, passando por relações-públicas.

Leia a matéria completa clicando aqui.

[10/5/17]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *