Censo mapeia jornalismo freelancer no Brasil

Quem são e o que querem os jornalistas freelancers do Brasil e Portugal? Para responder a essas perguntas, a Escola de Jornalismo Portátil, de Juan Pablo Meneses, criou o Primeiro Censo de Jornalistas Freelancer da América Latina, em parceria com a JSK Fellowships, da Universidade de Stanford.

Mais de 1000 profissionais hispânicos responderam. Agora, o Censo chega ao Brasil, e todos os que fazem frilas em português podem participar até 31 /5/17 (inclusive estudantes de jornalismo e profissionais de países lusófonos).

A iniciativa é fruto de uma  parceria com o Orbital Mídia, de Adriana Garcia, projeto focado em incentivar a inovação digital, a criatividade e o empreendedorismo em Jornalismo e Comunicação, que tem no Orbitalab seu braço de mentoria e treinamento, além de um grupo de discussão que reúne quase 1.500 profissionais do setor. Eis o link para o CensoFreelance: www.censofreelance.org (ele tem 21 perguntas e leva menos de 5 minutos para ficar pronto).

Alguns dados interessantes dos países hispanos: 56% dos participantes disseram que gostaria de tocar um projeto jornalístico próprio, 23% vivem exclusivamente da renda do trabalho freelancer, 33% têm emprego mas reforçam o orçamento mensal fazendo frilas e, apesar da crise no setor, 71% se dizem otimistas sobre o futuro do jornalismo.

Mais informações pelo e-mail: orbitalmidia@gmail.com.

(Publicado pelo Observatório da Imprensa.)

Veja também

Câmara de Aracaju aprova exigência de diploma para jornalistas no poder público municipal

A Câmara Municipal de Aracaju (SE) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira 21/10, em sessão remota ...

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *