Sindicato e Arfoc-MG levam denúncia de violências contra jornalistas à Promotoria de Direitos Humanos

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, Kerison Lopes, e o presidente da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Minas Gerais (Arfoc-MG), Leo Drumond, reúnem-se nesta sexta-feira 28/8, às 10h30, com a coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos e Apoio Comunitário, Nívea Mônica da Silva. Na audiência, eles entregarão documento solicitando apoio às investigação das violações aos direitos humanos cometidas pela Polícia Militar de Minas Gerais durante o protesto popular contra o aumento das passagens de ônibus, ocorrido em Belo Horizonte no dia 12 passado.

O Sindicato e a Arfoc-MG solicitam especial atenção para os crimes cometidos contra aqueles que registravam em fotos e vídeos a repressão popular. Relatos mostram que eles foram alvos escolhidos por policiais e atingidos à queima-roupa. A ação policial – denunciam as duas entidades – impediu o exercício profissional dos jornalistas, restringiu a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão, direitos estes garantidos na Constituição brasileira.

Um dos profissionais atingidos de forma mais grave enquanto trabalhava foi o repórter fotográfico Denilton Dias. Ele foi alvejado à queima-roupa, embora usasse crachá e tivesse se identificado. Quinze dias depois, Denilton ainda se recupera lentamente do ferimento. Ele voltou a trabalhar, mas só pode exercer funções administrativas. Um inquérito policial foi aberto para apurar o crime. O Sindicato acompanha o caso e vem agindo de todas as formas para mudar o quadro de violências contra jornalistas em Minas.

 

Veja também

Pesquisa está mapeando contaminação dos jornalistas por covid-19. Participe!

SJSP e Fenaj somam esforços para mapear contaminação da categoria Por Adriana Franco, do Sindicato ...

Um comentário

  1. Falta de respeito falta de profissionalismo ele estava trabalhando abuso de poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *