Especial da Gênero e Número mapeia conexões entre mídia, política e religião

A desinformação na estratégia política, afinal, o que é? É boato e informação falsa que ganham o mundo em compartilhamentos a partir de um aparato midiático? Seria mais simples se fosse apenas isso. É bem mais complexo. Para abordar a desinformação tendo ao centro a questão da “ideologia de gênero”, a Gênero e Número produziu O Reino Sagrado da Desinformação, um especial que mapeia conexões de atores da mídia, da política e da religião e, a partir dai, explica muita coisa que é importante entender no Brasil em 2019. A equipe de jornalistas, cientistas de dados, cientistas sociais e designers trabalhou para produzir narrativas regionais. Há uma reportagem para cada região do país.

Você sabe como a Assembleia de Deus chegou ao Brasil e como construiu sua rede de mais de 12 milhões de fieis? A gente conta boa parte dessa história a partir da região Norte.

No Nordeste, destacamos a narrativa da submissão feminina, muito em alta com a ascensão de mulheres conservadoras e evangélicas às assembleias e à câmaras locais.

No Centro-Oeste, passamos pela história das concessões de rádio e de TV, que têm expansão importante no governo Lula.

No Sudeste, abrimos espaço para um perfil da deputada federal Joice Hasselmann (PSL/SP), um dos nomes em ascensão na política conservadora nacional que defendem a existência da “ideologia de gênero”.

No Sul, mapeamos o estado Paraná a partir de seus atores e das instituições que convergem nas pautas da direita, que incluem, claro, a ideologia de gênero – e a grande e espetaculosa Operação Lava-Jato.

O Reino Sagrado da Desinformação traz ainda uma entrevista com Judith Butler, filósofa renomada nos estudos de gênero e atacada frontalmente pelos ativistas da direita, por políticos e religiosos.

Leia a reportagem clicando AQUI.

(Divulgado pela Gênero e Número.)

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[29/8/19]

 

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *