Assembleia derruba veto do governador e garante 3% da publicidade oficial para a Inconfidência e a TV Minas

Em votação realizada nesta quinta-feira 18/7, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais derrubou o veto do governador Romeu Zema à emenda da reforma administrativa que destina 3% dos recursos de publicidade governamental para a TV Minas e a Rádio Inconfidência. Foi uma grande vitória dos trabalhadores das duas emissoras públicas estaduais, da sociedade e de todos os que defendem o fortalecimento da comunicação pública.

Nas últimas semanas, os sindicatos dos jornalistas e dos radialistas fizeram uma verdadeira blitz na Assembleia para convencer os deputados da importância dos recursos para a Rádio Inconfidência e a TV Minas, que estão ameaçadas de fechamento. O governo alega falta de dinheiro para manter as duas emissoras, mas quando tem oportunidade de se comprometer com verbas publicitárias para elas, prefere anunciar em emissoras privadas nos horários nobres.

O SJPMG agradece a todos os deputados que votaram a favor da derrubada do veto, por compreenderem a importância da comunicação pública, em especial o deputado Celinho do Sintrocel, que dedicou grande esforço à causa.

A situação da Rádio Inconfidência AM é crítica. O governo não está fazendo repasses de verbas para o custeio e as condições de trabalho são precárias; falta carro e motoristas para o deslocamento de repórteres e servidores, despesas básicas para o funcionamento da rádio não estão sendo pagas. O vale-refeição é pago sempre com atraso a reposição salarial pela inflação, cláusula prevista no Acordo Coletivo de Trabalho, não foi feita.

No começo do ano, o governo anunciou intenção de fechar a rádio, que está no ar há 82 anos e é ouvida em todas as regiões de Minas e outros estados, sendo conhecida como Gigante do Ar. O anúncio gerou grande reação dos trabalhadores e da sociedade, que organizaram o movimento #FicaInconfidência.

A ALMG já realizou duas audiências públicas para discutir a situação da rádio e no dia 3/7 divulgou um relatório em que pede a permanência da emissora e investimentos de R$ 15 milhões na implantação da EMC – Empresa Mineira de Comunicação, que reuniu a Inconfidência e a Rede Minas.

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[18/7/19]

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *