Trabalhadores da Inconfidência e da Rede Minas exigem respeito

Depois de uma reunião de mais de três horas na Cidade Administrativa entre representantes do governo de Minas Gerais e dos sindicatos dos jornalistas, radialistas e servidores públicos, o Executivo manteve a decisão de retirar o reajuste de 4,57% nos salários dos funcionários da Rádio Inconfidência. Da mesma forma, o governo vem se mostrando intransigente em relação à carga horária dos trabalhadores da Rede Minas, que cumprem função muito acima do que foi determinado pela CLT e com salários abaixo do piso de nossa categoria.

Os sindicatos lutam para que o governo reveja sua posição arbitrária e desrespeitosa com os trabalhadores. Nunca antes na história governos concederam aumento e retiraram no mês seguinte, como foi feito agora na Inconfidência. Não bastasse os baixos salários e cargas horárias desrespeitosas, os trabalhadores dos maiores canais de comunicação pública de Minas Gerais também são obrigados a conviver em um ambiente insalubre, com ar-condicionado desregulado, carpetes infectados e preços exorbitantes para estacionarem seus veículos.

Sempre usando a Lei de Responsabilidade Fiscal como um escudo para nada conceder aos trabalhadores, o governo petista segue pagando salários exorbitantes aos seus indicados tanto na Inconfidência quanto na Rede Minas. Aos servidores concursados os rigores da lei, aos amigos, pagamentos estratosféricos.

O governo do senhor Fernando Pimentel gasta milhões em empresas privadas de comunicação para vender a imagem de uma gestão aberta ao diálogo, ao mesmo tempo que veta qualquer possibilidade real de diálogo com quem de fato constrói uma comunicação pública de qualidade. Enquanto se nega a dar um aumento menor que a inflação para os trabalhadores da Inconfidência, o senhor Fernando Pimentel destinou para a Rádio Itatiaia uma verba de publicidade seis vezes maior do que a destinada à rádio estatal ao longo de 2017.

Para a Rede Minas o quadro de funcionários é cada vez menor e a carga de trabalho e acumulo de função só cresce. Para o canal que mais produz conteúdo próprio em Minas Gerais foram destinados, por meio de verba de publicidade, R$ 198.126,29, sendo que deste total, R$ 150.907,70 foram para o Programa Arrumação. Enquanto isso a Rede TV!, que pouco produz em Minas, foi agraciada com R$ 291.767,33.

Apenas o que foi gasto em uma publicidade na Rede Globo é um valor DEZ vezes maior que o destinado à Rede Minas em seis meses.

Basta! Os trabalhadores não aceitam mais esta situação, queremos dignidade.

Pela devolução do nosso salário, Luta, Jornalista!
Por uma carga horária digna, Luta, Jornalista!

[5/10/17]

Veja também

SJPMG e Fenaj repudiam agressões a repórter da TV Integração em Prata (MG)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e a Federação Nacional dos Jornalistas vêm ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *