Justiça bloqueia créditos do Hoje em Dia para pagamento dos dispensados

A Justiça do Trabalho concedeu tutela de urgência a favor de jornalistas dispensados pelo Hoje em Dia, garantindo que eles tenham acesso ao seguro-desemprego e ao saque do FGTS depositado pela Ediminas, empresa proprietária do jornal. A decisão determinou também bloqueio dos créditos da Ediminas no valor de R$ 1,8 milhão, decorrentes da venda do prédio em que funciona o jornal, no Bairro Santa Efigênia, para garantir o pagamento das rescisões dos contratos de trabalho.

A ação coletiva foi movida pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, representando 24 dos 36 jornalistas demitidos, e tem como réus, além da Ediminas, os atuais e antigos proprietários do jornal: Editora Minas – Eireli – ME, Rádio e Televisão Record S.A, Lucianne Rafaella Viana Tupinambá Rodrigues, Luciano Resende Martins de Souza, Ruy Adriano Borges Muniz e Tania Raquel de Queiroz Muniz.

A sede do Hoje em Dia foi vendida por R$ 18 milhões, em parcelas mensais de R$ 1 milhão. O Sindicato entende que a venda foi uma forma de burlar os créditos trabalhistas dos jornalistas dispensados. Ao deferir a tutela de urgência requerida pelo Sindicato, na forma do art. 300 do NCPC, o juiz Marcos Vinícius Barroso determinou expedição de ofício à J&F Empreendimentos S/A, empresa compradora do imóvel, para que faça o bloqueio dos créditos e deposite o valor em conta judicial até o limite de R$ 1 milhão 834 mil 119.

O juiz determinou ainda expedição de alvará para possibilitar o saque do FGTS, ofício ao Ministério do Trabalho e Emprego, para percepção das parcelas de seguro-desemprego, e intimação à Ediminas para que forneça os PPP (Perfis Profissiográficos Previdenciários) dos trabalhadores que fazem jus a ele, no prazo de cinco dias, sob pena de multa de R$ 5 mil por PPP não fornecido. O PPP é um documento que contém informações detalhadas sobre as atividades do trabalhador, exposição a agentes nocivos à saúde e outras informações de caráter administrativo.

Atualizada às 22h.

 

Veja também

Certificados do Curso Livre de Jornalismo já estão disponíveis

Se você se inscreveu antecipadamente e assistiu 50% das aulas da segunda temporada do Curso ...

4 comentários

  1. É nisso que dá a penetração, cada vez com mais força, de picaretas no mercado jornalístico mineiro, aliás uma tradição em safadeza, às vezes até com a cumplicidade de conhecidos jornalistas que não podem ver o tilintar das moedas que se põem a serviço dos bandidos.

  2. Parabéns aos jornalistas, pois os gráficos que foram dispensados dia 30/12/2015 não receberam nada até hoje 58 pais de família sem direito a nada estamos esperando a 44° vara fazer o mesmo .

  3. O Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais vem atuando com firmeza e buscando na legalidade a defesa da categoria. Esse bloqueio que vai garantir os direitos trabalhistas dos jornalistas demitidos pelo novo grupo – em uma ação, pelo que li, que envolve também a Record e os donos anteriores – mostra que a união e a participação dos jornalistas fortalece o sindicato. Outras ações, envolvendo a crise no Estado de Minas, atraso de salário, FGTS não depositado, assim como o INSS, reforçam o trabalho do nosso sindicato e a competência jurídica do advogado Luciano Silva.

  4. Alexandre Rodrigues

    Muito bom!Parabèns aos jornalista e espero que tanto os jornalistas quantos os funcionários da indústria e do administrativo recebam o acerto que nao foi cumprido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *