Hoje em Dia: ponto é desligado

Estranhamente, o ponto do jornal Hoje em Dia amanheceu desligado. Os trabalhadores que foram demitidos hoje não puderam registrar sua entrada na empresa, que pressiona para que eles assinem o aviso de demissão com data de ontem. A intenção do jornal é tentar burlar o pagamento de uma indenização para os demitidos no mês que antecede o dissídio coletivo. O Sindicato está atento e colhendo provas de todas as ilegalidades praticadas pela empresa durante a demissão de cerca de 40 trabalhadores ontem e hoje.

Além disso, o jornal demitiu pessoas em férias e chegou a ir na casa dos trabalhadores que estavam de folga para concretizar as dispensas. O Sindicato repudia essas manobras e entrou em contato com o RH da empresa na manhã de hoje para alertar sobre os abusos e ilegalidades. Todas essas artimanhas serão alvo de denúncias e ações na justiça. O Sindicato alerta a todos os trabalhadores que não assinem recibos com data retroativa ou façam constar no acerta uma observação sobre essa manobra.

Uma reunião de mediação no Ministério do Trabalho, para tratar da dispensa em massa, está marcada para a próxima sexta-feira 4/3, às 12h30. A audiência foi pedida pelo Sindicato, que também vai acionar o Ministério Público do Trabalho. Além das demissões, a mediação tratará do atraso no adiantamento dos salários, que deveria ter sido pago no dia 20 de janeiro, e do não pagamento das férias no prazo determinado por lei, que é de 48 horas antes do início das férias.

Hoje, às 19h, na Casa do Jornalista (Avenida Álvares Cabral, 400), será feita uma reunião com os jornalistas dispensados, para esclarecer sobre dúvidas trabalhistas, dispensas ilegais e ações pela garantia dos direitos. O Sindicato não vai aceitar calote, vai exigir rigor para que todos problemas sejam solucionados e que os demitidos recebam dentro do prazo estabelecido pela legislação.

 

Veja também

MPT arquiva denúncia da chapa 1 contra eleição do SJPMG

O Ministério Público do Trabalho (MPT) arquivou nesta semana denúncia envolvendo o processo eleitoral para ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *