Trabalhadores dos Diários Associados garantem estabilidade e outros direitos

Os trabalhadores que participaram das paralisações no jornal Estado de Minas e da TV Alterosa conquistaram estabilidade no emprego ate o dia 14 de fevereiro. Esta foi uma das decisões acordadas nesta quarta-feira 30/12, com as empresas, pelos sindicatos dos Jornalistas, Radialistas, dos Funcionários da Administração e Trabalhadores Gráficos, durante reunião de mediação que durou cinco horas na Superintendência Regional do Ministério do Trabalho (MTE).

Os trabalhadores dos Diários Associados decidiram interromper até a segunda-feira 4/1 as paralisações que vinham sendo feitas por todos os setores do grupo, quando serão realizadas assembleias na porta do Estado de Minas (13h) e da TV Alterosa (14h) para decidir os rumos do movimento.

Desde a semana passada, os trabalhadores paralisaram total ou parcialmente os trabalhos para pressionar a empresa a pagar o décimo terceiro salário, que só foi quitado integralmente para os funcionários do parque gráfico, em uma tentativa de dividir a categoria. Jornalistas, radialistas, administração e gráficos vêm atuando conjuntamente desde 2014 para solucionar os problemas que envolvem os Associados, entre eles o não pagamento e atraso do INSS, do FGTS, das férias, dos vales refeição e transporte.

Na reunião de mediação no MTE não foi apresentada nenhuma proposta concreta da empresa para a quitação do benefício natalino. Foi acertada a garantia de emprego e a não aplicação de nenhum tipo de punição ou sanção para os integrantes do movimento paredista.

Uma nova rodada de discussão está marcada para o dia 11, quando a empresa terá de apresentar aos sindicatos, e também ao MTE, a relação de todos os trabalhadores do grupo com informações sobre quanto cada um recebeu do décimo terceiro até aquela data. Também ficou acertada a garantia do plano de saúde até 5 de fevereiro. Antes desta data, os sindicatos e a empresa vão sentar e discutir alterações do plano para que ele não seja interrompido. O grupo também garantiu que vai honrar o pagamento do abono para todos os trabalhadores que vão entrar de férias e assegurou o pagamento em dia do salário de dezembro, no dia 7 de janeiro.

Os sindicatos aproveitaram a reunião para denunciar as sucessivas práticas antissindicais e de assédio moral que vinham sendo adotadas pela empresa e que se intensificaram com as paralisações. Todas as provas e denúncias serão encaminhadas ao setor do MTE responsável por apurar condutas dessa natureza. Além da pressão e das tentativas de intimidação, os trabalhadores em greve foram cercados por cerca de cem policiais do Batalhão de Choque na porta da TV Alterosa na terça-feira 29/12. O caso repercutiu internacionalmente. Na página do Sindicato dos Jornalistas no Facebook, a denúncia dessa ação da PM foi vista, comentada e compartilhada por cerca de 219 mil pessoas até às 18h de hoje (30/12/15).

Além da denúncia feita no MTE, os sindicatos vão encaminhar um questionamento formal à Secretaria de Defesa Social e ao Comando da Polícia Militar para identificar quem foi o responsável, na empresa, pela convocação do Batalhão de Choque. A empresa se comprometeu a analisar a punição do responsável, depois de identificado.

 

Veja também

SJPMG repudia ataques a jornalistas por vereadora de Bom Jesus do Amparo

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais vem a público repudiar os ataques feitos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *