Pra não dizer que não falei de crônicas

Um clássico inesquecível, por Rogério Perez

E daqui do sofá amarelo, sigo meu cotidiano de idas e vindas rodeado em minha volta, sinfonia de pardais, de barulhentas maritacas, imponentes tucanos e de uma vida interiorana que neste mês de março, entre o aniversário da Regina e do Galo Carijó, me senti verdadeiramente dentro de um clássico, daquele raiz entre Galo x Raposa, Fla x Flu, Boca ...

Leia mais »

Agenda de Memórias, por Hélia Ventura

Todos os jornalistas que viveram a época pré-internet tinham uma agenda de papel. Aprendi a importância deste recurso logo nos primeiros dias de repórter como estagiária do jornal Estado de Minas. Logicamente que nessa época ainda não tinha a minha, por isso recorria com frequência à agenda dos colegas. Um dia, precisei do número de telefone de uma fonte para ...

Leia mais »

A saga de ser Galo na saúde e na doença, por William Santos

Ansiedades, assombros emocionais e angústias não combinavam com a cardiopatia que acometia o meu aguerrido coração atleticano. Acostumado ao radicalismo de grandes emoções, ele estava prestes a sucumbir a uma dupla lesão aórtica reumática, com reflexos em uma estenose e regurgitação de graus que se iniciava no Moderado e atingia o Importante. O diagnóstico intuía que meu coração sofria mais ...

Leia mais »

Um clássico inesquecível, por Rogério Perez

E daqui do sofá amarelo, sigo meu cotidiano de idas e vindas, rodeado em minha volta, sinfonia de pardais, de barulhentas maritacas, imponentes tucanos e de uma vida interiorana que neste mês de março, entre o aniversário da Regina e do Galo Carijó, me senti verdadeiramente dentro de um clássico, daquele raiz entre Galo x Raposa, Fla x Flu, Boca ...

Leia mais »

Filas sem fim! Por Bety Colares

por Bety Colares Quem me conhece sabe que não suporto – até suporto, mas não gosto de uma fila. Acho que ninguém gosta, né? Normalmente, a fila que escolho é a que menos anda. Se arrisco a me mudar de lado, agora é a fila em que estava que se desenrola. É um Deus nos acuda. Mas o que me ...

Leia mais »

Vai passar! Por Márcia Lage

Vai Passar! Por Márcia Lage Ando muito preocupada comigo mesma. Tenho lido cada vez menos, o que me deixa um pouco sem assunto. Falo de livros, de jornais e de revistas, não de leituras rápidas e rasas na tela do meu celular. Para ver se amplio conhecimentos nessa época de samba de uma nota só, andei fazendo uns cursos caríssimos ...

Leia mais »

Nunca houve uma mulher como Gilda, por Mirtes Scalioni

Casada, mãe de três crianças na pré-escola, Gilda era uma figura bem conhecida no bairro de classe média onde morava, em Belo Horizonte, naquele início dos anos de 1980. Simpática, falante, disponível e despachada, vivia por conta de casa e filhos, e não costumava esconder as dificuldades financeiras que vivia. Em tempos de crise, com o marido sempre desempregado ou ...

Leia mais »

Gimirulino é prosa de bicho, por Ricardo Rodrigues

Na vida a questão maior é onde colocar o desejo? O amor é mais forte do que nós e as nossas circunstâncias? O vaqueiro Gimirulino emenda ser preciso olhar o capim debaixo da rês. Sabedoria sertaneja é assim: prova simplicidade para sobreviver em conta. Quem liga pras loucuras do Uauaretê a passo do lajedo onde demora? Onça velha não perdeu ...

Leia mais »

Futebol e guerra, do céu ao inferno!, por Fernando Zuba

O ano era 1982, e a promissora Seleção Brasileira, comandada por Telê Santana, realizava parte de sua preparação na Toca da Raposa – casa do Cruzeiro. Caju, então motorista da Rádio Capital, era encarregado de transportar os repórteres da Avenida do Contorno, quase esquina com a Avenida Afonso Pena, onde ficava a sede da estação, até à Lagoa da Pampulha, ...

Leia mais »