Vamos fazer nossa contraproposta para campanha salarial 2020 (rádio e TV)

Na quinta e sexta passadas (18 e 19/2/2021), jornalistas de rádio e televisão da capital rejeitaram a proposta salarial apresentada pelas Empresas Proprietárias de Rádio e Televisão. Entre os profissionais da capital que votaram na enquete online feita pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG), 64,9% disseram não à proposta que negou o abono, não reconheceu o pagamento retroativo integral e ofereceu somente a reposição salarial de 3,31%.

Agora, está na hora de os trabalhadores da notícia, juntamente com o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais (SJPMG), apresentarem uma contraproposta para a campanha salarial de rádio e televisão da capital mineira.

Durante as discussões representando os jornalistas, o SJPMG chegou a propor para os patrões um retroativo integral até abril, data-base da categoria, e abono no valor de 50% do pago em 2019, depois que a proposta de manter o valor anterior (R$ 2.100) do abono (com correção da inflação) não foi aceita, mas o sindicato patronal não aceitou.

A proposta rejeitada em assembleia foi  de 3,3% de reposição da inflação, sete parcelas de retroativo pagas em forma de abono e nenhum centavo de abono. A proposta inicial era de 1,8% para os salários e pisos sem abono e sem retroativo.

As negociações foram suspensas em abril a pedido do patronal e retomadas em setembro, após pressão dos Sindicatos dos Jornalistas e dos Radialistas de Minas Gerais. Mesma proposta foi rejeitada pelos radialistas da capital que decretaram estado de greve.

Vamos construir nossas propostas!

Clique aqui para preencha o formulário on-line e mandar sua sugestão.

[23/2/2021]

Veja também

Jornalistas de Minas somam esforços na luta por direitos e pela vida das mulheres!

Se você passar em frente ao Sindicato das Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, no dia ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *