TV Integração divulga nota sobre agressões a repórter em Prata

O Grupo Integração, proprietário da TV Integração, emitiu nota nesta sexta-feira 30/10 lamentando as agressões sofridas pelo repórter Arcênio Corrêa quando fazia reportagem no município de Prata, ontem.

A nota — cuja íntegra está publicada no fim desta matéria — informa que a empresa está dedicando todos os esforços jurídicos para apoiar a equipe e tomando cuidados para recuperação e proteção de Arcênio Corrêa e do repórter cinematográfico Stanley Mathias. Esclarece que a pauta que a equipe realizava não era de denúncia, nem de acusação de qualquer natureza, que pudesse motivar a reação dos agressores, mas sim uma reportagem já executada em outros municípios sobre propostas para a área de saúde dos candidatos nas eleições deste ano.

Em matéria publicada também nesta sexta, o G1 Triângulo e Alto Paranaíba mostra mais detalhes da agressão. Antes de partir para o ataque físico, a  dupla de agressores questionou a reportagem. “A desconfiança sobre qual objetivo da TV Integração em fazer uma reportagem na porta do Pronto Atendimento de Saúde Municipal (PAM) foi o que levou um médico e um servidor a agredirem a equipe de reportagem em Prata”, afirma a matéria.

O G1 informa também que a Polícia Civil ouviu as vítimas e que os autores serão intimados para comparecer à Justiça. O servidor Diego Vilela Pita, que agarra o repórter pelo pescoço, foi exonerado. O médico Jackeny Melo, que tenta pegar o celular da equipe, deve ter o contrato rescindido, conforme disse o prefeito Anuar Arantes Amuy (MDB). A reportagem procurou os envolvidos, mas não teve retorno.

Leia a seguir a íntegra da nota da TV Integração.

“O Grupo Integração lamenta novamente que o trabalho de apuração e produção jornalística tenha sido interrompido, não por fatos que contradigam a pauta, mas por força física. É a segunda ocorrência dessa natureza apenas neste ano em nossa área de cobertura, no interior de Minas. Estamos dedicando todos os nossos esforços jurídicos em apoio à nossa equipe, assim como os cuidados para recuperação e proteção de nossos dois colaboradores, Arcênio Corrêa e Stanley Mathias.

“Agradecemos o público pelas manifestações de carinho e apoio a eles e à liberdade de atuação da imprensa. É reconfortante saber que a maioria da população entende a importância desse trabalho. Esclarecemos que a pauta que estava em execução em Prata já foi executada em outras cidades e abria espaço para os candidatos a prefeito do município falarem sobre propostas para a área de saúde, assunto que já foi tema de notícias em nossos veículos ao longo dos últimos anos. Portanto, não se tratava de denúncia e nem de acusação de qualquer natureza, mas do levantamento de uma questão local para manifestação, opinião e propostas dos candidatos ao pleito. Lamentamos não ter concluído essa tarefa e, dessa forma, abrires paço para informação aos eleitores de Prata.

“Reiteramos nossas crenças no exercício do jornalismo e da comunicação como formas de debatermos, no campo das ideias e da informação, o que pode ajudar nossa sociedade a caminhar para um ambiente melhor.”

 

Clique AQUI para ler a íntegra da matéria do G1.

Clique AQUI para ler a nota do SJPMG e da Fenaj.

 

[30/10/20]

 

Veja também

ALMG tem surto de covid depois de convocar todos os terceirizados, muitos sem direito a plano de saúde

Já são seis trabalhadores da área de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (quatro ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *