Jornalista cria projeto que ajuda mães a enfrentar efeitos da pandemia do coronavírus

A jornalista Flávia Freitas e a publicitária Cristiane Rosa (Kiki) criaram em Betim (MG) um projeto que está ajudando mães a enfrentar os efeitos da pandemia do coronavírus. A campanha ‘Amadrinhe Uma Mãe” funciona via internet e já tem sete madrinhas. Nesta terça 24/3, uma mãe foi amadrinhada por outra com leite para alimentar sua filha.

“A ideia é formar uma rede de solidariedade para pagar contas, comprar fraldas, alimentos e outras coisas para mães que ficaram sem renda em consequência da quarentena”, disse Flávia.

Ela explicou que o projeto Mamacor – Grupo de Apoio das Mães de Betim foi criado em novembro do ano passado para troca de informações e apoio a mães, inclusive incentivo a mulheres empreendedoras. As duas sócias participam com a mídia, as empreendedoras oferecem descontos nos seus produtos e as demais se beneficiam deles.

Logo o Mamacor reuniu 256 mães em um grupo do Whatsapp, o número máximo do aplicativo, mas com a chegada da pandemia, Flávia e Kiki tiveram de mudar de estratégia.

“O grupo tem mães de todas as classes e algumas não vão ter renda nenhuma”, contou Flávia, que trabalha na Secretaria de Saúde de Betim. “O que a gente percebe é que muitas mães são arrimo de família ou mães solo, o que é uma realidade no Brasil. Vai ser muito difícil para muitas delas ganharem dinheiro nos próximos meses.”

Ela citou o caso de uma mulher que tinha acabado de fazer uma grande compra para produzir ovos de Páscoa quando o confinamento começou. Mãe de uma criança portadora de doença rara, ela depende desse trabalho caseiro para manter a família; o projeto vai ajudá-la a divulgar seus produtos e na logística de distribuição.

Ao entrarem no grupo, as mulheres preenchem um formulário que serve de base para o trabalho de ajuda mútua do Amadrinhe Uma Mãe. No grupo de 256 mães (há também outro grupo, mais recente e menor no aplicativo Telegram) há profissionais de várias áreas, inclusive enfermeiras e médicas. O projeto busca informações oficiais sobre o coronavírus e as compartilha, para orientar as mães. Uma das preocupações, segundo Flávia, é combater as fake news, para não gerar pânico.

“Estamos vivendo uma situação muito complexa. Precisamos buscar o bom senso e compartilhar experiências, para aliviar esse momento e ficarmos mais leves no meio do caos”, disse a jornalista.

Se você quiser participar do Mamacor19 ou amadrinhar uma mãe, entre em contato pelos celulares e zaps (31) 9-9123-2224 e 9-9956-5991. Acompanhe o projeto pelo Facebook: https://www.facebook.com/mamacor19/.

[25/3/20]

 

Veja também

Inscrições para o 2º Prêmio Sindibel de Jornalismo já estão abertas

Em comemoração aos seus 32 anos de funcionamento, na segunda-feira 19/10, o Sindicato dos Servidores ...

Um comentário

  1. Parabéns Flávia,! Sempre com nobres iniciativas em prol do outro e da comunidade.
    Você pertence a uma familia muito especial .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *