Programa Entre(vistas) com o cineasta Cao Guimarães vai ao ar nesta quinta 22/8, às 11h

Vai ao ar nesta quinta-feira 22/8, às 11h, no YouTube e no IGTV do Instagram, a entrevista produzida pelo coletivo mineiro Almôndegas Filmes com o cineasta e artista plástico Cao Guimarães (foto). O programa é o quarto da série Entre(vistas), produção independente que estreou no dia 1° de agosto e apresenta uma nova entrevista toda quinta-feira, sempre com personalidades da cultura, das artes e da política.

Os três primeiros entrevistados foram o rapper e artista visual Fabrício FBC, a atriz Teuda Bara, do Grupo Galpão, e Andréia de Jesus, primeira deputada negra eleita por Minas Gerais. Os programas estão disponíveis gratuitamente e podem ser vistos clicando AQUI.

Entre(vistas) é dirigido pela jornalista Bárbara Ferreira em conjunto com o jornalista e cineasta Lipe Canêdo, diretor do SJPMG, e o cineasta Ricardo Murad. “São 30 minutos de entrevista, mostrando visões de mundo originais, em um formato intimista, de mais conversa e mais escuta”, explica Bárbara.

Inspirado no renomado programa Ensaio, da TV Cultura de São Paulo, e na série portuguesa If You Walk the Galaxies, Entre(vistas) tem uma apresentação minimalista, com destaque para a iluminação sobre um fundo preto, informa Ricardo.

A primeira temporada terá dez entrevistas e será veiculada até o dia 3 de outubro. Já estão em fase de produção programas com a artista plástica Jade Marra, o jornalista e galerista Bernardo Biagioni e o ativista Leonardo Péricles.

Longa e prêmio

Fundado em 2014, o coletivo Almôndega Filmes prepara-se para estrear seu primeiro longa-metragem, Pelos Corredores de Nossa Casa, um documentário sobre a Moradia Estudantil Borges da Costa, ocupação que durou 18 anos dentro do Campus de Medicina da UFMG.

O coletivo já produziu curtas-metragens em Cuba e Portugal, entre eles Arara: um filme sobre um filme sobrevivente, sobre a Guarda Rural Indígena, um batalhão da PM mineira com cerca de 95 indígenas, de cinco etnias diferentes. O filme, que contém a única cena pública de tortura durante a ditadura militar, foi vencedor na categoria melhor curta no 34° Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo em 2017, promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul e pela Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul.

Arara e outros curtas podem ser assistidos na íntegra no saite da produtora: almondegafilmes.com.

(Crédito da foto: Bárbara Ferreira.)
#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[21/8/19]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *