Nota de repúdio ao fechamento da regional Maranhão da EBC

Repudiamos a decisão anunciada nesta segunda-feira, pela direção da EBC, de encerrar a produção da regional Maranhão. A empresa acaba com a TV Brasil no estado, originada da TV Educativa do Maranhão, que neste ano completaria cinco décadas de história. Foi a primeira emissora do Brasil a transmitir aulas por meio do tele-ensino, e se tornou referência para outras tevês educativas.

O população também perde o jornal local da emissora, com mais de 35 anos de existência, que foi extinto em janeiro deste ano, inclusive em desrespeito à legislação. O fechamento da regional também viola a própria lei da EBC, que em seu artigo 6º determina a continuidade das unidades da empresa já existentes no Distrito Federal, Rio de Janeiro e Maranhão.

O encerramento das atividades da EBC no Maranhão é mais um passo no desmonte da empresa, e também desrespeita a população nordestina, no momento em que a empresa deixa de ter participação na região. Hoje a EBC também está presente em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Tabatinga (AM).

Criada em 2007, como resultado de mobilização de diversos setores da sociedade civil, a EBC surgiu para cumprir o que estabelece a Constituição Federal, que prevê complementaridade entre os sistemas público, estatal e privado de radiodifusão. Mas nos últimos anos, diversos ataques têm destruído o papel que deveria ter a empresa na formação crítica da população brasileira. Em 2016, o governo Temer acabou com o mandato do presidente da empresa e com o Conselho Curador, iniciativas que ajudavam a proteger a empresa do controle direto do governo federal. Mais recentemente, já no governo Bolsonaro, uma medida unificou a programação da TV NBR, estatal, com a TV Brasil, pública, em claro desacordo com a Constituição. O resultado é uma comunicação cada vez mais oficial, com baixíssima pluralidade de opiniões, e sem espaço para o contraditório.

Em um cenário de radiodifusão dominado por emissoras privadas com diversos interesses, entendemos que é essencial para a democracia no País uma EBC em consonância com a Constituição Federal, com controle social, independência editorial, devido financiamento público, e protegida de interferências políticas. Defendemos a permanência da regional da empresa na capital maranhense, e que os empregados permaneçam em seus postos de trabalho.

Sindicatos dos Jornalistas DF, RJ e SP

Sindicatos dos Radialistas DF, RJ e SP

Comissão dos Empregados da EBC

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[7/5/19]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *