Censura do Supremo Tribunal Federal é inaceitável

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), mais uma vez, vem a público repudiar o evidente caso de censura à imprensa e de impedimento do exercício do Jornalismo cometido pelo presidente e vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministros Dias Toffoli e Luiz Fux, respectivamente. A mais alta corte de Justiça do país, que deveria zelar pelo cumprimento da Constituição brasileira, ataca os direitos constitucionais da liberdade de manifestação de pensamento e da liberdade de imprensa, ao impedir que jornalistas entrevistem o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e que veículos de comunicação divulguem entrevistas, caso tenham sido realizadas.

Na última sexta-feira (28 de setembro), o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, autorizou entrevistas com ex-presidente Lula. A decisão foi imediatamente cassada pelo ministro Fux, a pedido do Partido Novo. Em despacho realizado na manhã de segunda-feira (1º de outubro), Lewandowiski determinou à Justiça de Curitiba o cumprimento de sua decisão, argumentando que Fux “incorreu em vícios gravíssimos”.

À noite, o presidente do STF, Dias Toffoli, referendou a decisão do vice-presidente Luiz Fux proibindo o ex-presidente Lula de conceder entrevista a jornais e jornalistas. Toffoli respondeu à consulta do Ministério da Segurança Pública, a pedido da Polícia Federal de Curitiba, sobre qual decisão do STF cumprir: se a de Fux ou a decisão anterior do ministro Ricardo Lewandowski.

Os artigos 5º e 220 da Constituição Federal, que tratam dos Direitos e Garantias Fundamentais e da Comunicação Social, trazem dispositivos claros sobre a livre manifestação do pensamento e a liberdade de expressão. É assegurado a todos o acesso à informação; nenhuma lei pode conter embaraço à informação jornalística em qualquer veículo de comunicação assim como é vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

Para a Federação Nacional dos Jornalistas, o Supremo Tribunal Federal, além de cometer erros jurídicos apontados por especialistas, incorre no mal maior: impede a manifestação do ex-presidente Lula e estabelece a censura prévia a veículos de imprensa. Vice-presidente e presidente, lembramos, contrariaram todas as decisões anteriores do STF, nas quais o entendimento foi de que a Constituição brasileira não admite censura.

A Fenaj vem denunciando, desde o final de 2015, que a democracia brasileira está ameaçada porque o Estado Democrático de Direito tem sido violado por instituições que deveriam zelar pela sua manutenção. A sociedade brasileira precisa, urgentemente, enfrentar o arbítrio, refutando toda e qualquer decisão que comprometa ainda mais nossa já abalada democracia. Censura vinda da mais alta corte de Justiça do país é inaceitável. Que o plenário do STF redima-se, urgentemente.

Brasília, 3 de outubro de 2018.

Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj.

(Publicado no saite da Fenaj.)

 

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[4/10/18]

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *