Organizadores da Parada LGBT realizam coletiva na Casa do Jornalista

O Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (Cellos-MG), representantes da Prefeitura e das empresas apoiadoras da 21ª Parada LGBT de Belo Horizonte concederam entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira 4/7 na Casa do Jornalista (foto). A parada acontece no próximo domingo 8/7 e tem como tema “Mais Democracia e Mais Direitos Humanos: esse é o Brasil que queremos para LGBT”.

Segundo os organizadores, a manifestação marcará o posicionamento LGBT sobre o momento político que o país vive e que tem afetado pessoas de diferentes gêneros e orientações sexuais.

“Antes de mais nada, queremos mais uma vez declarar que estamos vivendo um golpe cujo caráter misógino e lgbtfóbico é uma afronta aos nossos direitos”, disse Bruno Chaves, um dos coordenadores do Cellos MG. “A cada 19 horas uma pessoa LGBT é assassinada no Brasil e, nos últimos dois anos, nenhuma política de afirmação e enfrentamento desses índices foi implementada”, denunciou.

O presidente da Cellos, Azilton Viana, disse que neste momento de tensionamento social as pessoas querem se expressar. “A gente tem uma adesão enorme neste ano em função dessa questão da perda de direitos e desses retrocessos que vem sendo colocados para a sociedade. A Parada também dá voz àqueles que estão silenciados, as pessoas se reconhecem no evento”, disse.

A abertura da coletiva foi feita pelo diretor da Casa do Jornalista Gil Sotero. Ele recepcionou os colegas e ativistas e declarou a importância de manter a Casa como um espaço de luta pela democracia e direitos das minorias.

“No momento, todas as entidades sindicais que lutam pelos direitos do trabalhadores e minorias estão sob ataque. A Casa do Jornalista precisa dos associados, dos sindicalizados, para sobreviver”, disse Sotero.

Ele destacou também a importância dos movimentos que reflitam a atuação da imprensa em relação a LGBTs.

“Criamos um coletivo chamado Jornalistas pela Diversidade exatamente para discutir a reprodução da violência a LGBTs na imprensa. É muito importante a participação da categoria”, disse.

A 21ª Parada LBGT de Belo Horizonte deve movimentar mais de 5 milhões na cidade.

“Apuramos junto à Belotur que a Parada de 2017 realizou uma movimentação financeira de mais de 4 milhões e este ano queremos um aumento de 20%”, declarou Thiago Costa, subsecretário de Direito e Cidadania da Secretaria Municipal de Assistência Social. Ele explicou que a prefeitura investiu mais de R$ 120 mil em infraestrutura para a realização da festa.

Neste ano, a Parada conta com o apoio da Uber e da ThoughtWorks. Desde o início desta semana a Uber usa o rainbow routes, trajetos de viagens com as cores do arco-íris.

SERVIÇO

21ª Parada LGBT de Belo Horizonte

Concentração: Praça da Estação, a partir das 11h, com shows e atos

Saída dos trios elétricos: a partir das 16h

Trajeto: Rua dos Guaicurus, Rua da Bahia e Avenida Amazonas

Dispersão: Praça Raul Soares

Credenciamento de imprensa: http://cellosmg.org.br/imprensa/

(Crédito da foto: Gil Sotero.)

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

[4/7/18]

Veja também

Estudo global revela efeitos da pandemia no jornalismo

Por Taylor Mulcahey, IJNet A pandemia de covid-19 impactou muitos jornalistas e redações de uma ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *