Poeta e músico cearense Leo Mackellene lança livro em show na Casa do Jornalista neste sábado 23/9

O poeta, músico e professor cearense Léo Mackellene, editor e colunista de publicações culturais, lança neste sábado 23/9, às 19h, na Casa do Jornalista, seu primeiro romance, Como gota de óleo na superfície da água. O livro é de uma espécie literária híbrida, que o autor chamou de “música em prosa”.

“É um livro musical”, afirma o escritor, em press realease. “Trabalhei as frases do livro pra que tenham uma certa cadência, um certo ritmo, justamente pra facilitar essa leitura em voz alta, e numa dicção muito própria do falar genuinamente brasileiro, quiçá nordestino.”

É também um livro musical pelas referências abundantes. As cenas de Como gota de óleo na superfície da água estão acompanhadas de músicas de Caetano Veloso, Daniel Groove, Fagner, Maria Bethânia, Belchior… “É um livro com trilha sonora”, brinca Léo, revelando que os nomes de alguns lugares e personagens da história fazem referência a canções.

Como gota de óleo na superfície da água é um livro sobre a impossibilidade e a possibilidade de amar, sobre amores possíveis e sobre desamores, um livro que pergunta: afinal, estamos preparados para o amor livre? O que é o amor livre?

O livro musical será acompanhado de um pocket show que leva o nome do gênero em que se insere o livro: Música em prosa. Trata-se de um show lítero-musical com canções autorais do escritor e conversa sobre o processo de construção do livro, sua produção e sua divulgação, além da leitura dramática de trechos da obra.

Léo Mackellene é poeta, músico e professor de argumentação jurídica, teoria literária e análise do discurso, editor-chefe do Setor de Publicações da Faculdade Luciano Feijão, em Sobral-CE, colunista do saite Ceará Mais, editor da Brabo! Revista de Cultura e Arte Cearense e do informativo de crítica de mídia O outro lado da coisa.

Publicou O livro dos mais pequenos silêncios (2006), poesia, e participou das antologias de contos e poesia Antologia Massanova – poesia brasileira contemporânea (2007), Encontos e desencontos (2007) e O cravo roxo do diabo – o conto fantástico no Ceará (2011). Em 2015 e 2017 recebeu o Prêmio Nacional Ideal Clube de Literatura. Coordenou projetos de pesquisa que originaram três livros: Carinhanha: entre rosas e veredas (2010), Carinhanha: entre o sabor e o saber (2011) e Carinhanha: entre rios de histórias (2012). Em 2013, publicou A cigana analfabeta lendo a mão de Paulo Freire: considerações sobre alfabetização e letramento. Em 2016, lançou o livro Língua e Poder na sala de aula: novas tendências para o Ensino de Língua Materna.

[21/9/17]

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *