Atividade na Cidade Administrativa para dialogar com a população sobre a Reforma da Previdência

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), a Central Única dos Trabalhadores (CUT/MG), o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro/MG) distribuíram na Cidade Administrativa, na quarta-feira 22/2, materiais contra a Proposta de Emenda à Constituição, PEC 287/16, que reforma a Previdência.

A atividade faz parte de ações que a CUT Minas tem realizado junto à base para ampliar o diálogo com a sociedade. Os objetivos são esclarecer sobre esse assunto e denunciar os estragos que essa proposta do governo ilegítimo de Michel Temer vai trazer para a classe trabalhadora.

A CUT Minas já promoveu, neste mês, várias plenárias sobre a Reforma da Previdência em diversas regiões do Estado e segundo a presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira, também está em curso um plano de ações visando a construção da greve geral, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) para ter início em 15 de março.

“Estamos nos articulando, nos juntando a parceiros que estiveram conosco contra o golpe e a favor da democracia, e nos mobilizando em todo o Estado. Vamos intensificar o diálogo com a população e, para isso, já estamos com uma barraca na Praça Sete, desde o dia 21 deste mês, conversando com as pessoas. Vamos ainda intensificar visitas às escolas, tudo isso visando esclarecer aquilo que o governo Temer não fala. O que está por trás das reformas da previdência e trabalhista é o desmonte do Estado”, disse Beatriz.

Educação

Os profissionais da educação participaram ativamente das atividades na Cidade Administrativa. Conforme calendário de lutas aprovado no Conselho Geral da categoria realizado no, no último dia 11/2, os/as trabalhadores/as pautaram a Reforma da Previdência e as estratégias para impedir que ela seja aprovada como sendo uma das bandeiras que irão levantar a voz e unificar a classe trabalhadora.

No dia 8 de março, acontecerá Assembleia Estadual, com indicativo de greve e ato público conjunto com movimentos sociais pelo Dia Internacional da Mulher.

No dia 15 de março, terá início a Greve Nacional da Educação contra a Reforma da Previdência e em Defesa do Piso e pelo cumprimento dos acordos assumidos em Minas Gerais pelo Governo Estado  (Piso, carreira, nomeações e novo concurso já e cumprimento dos acordos assinado em 2015 – Acordo geral e o específico das SREs e Órgão Central da SEE.)

(Foto: Lidyane Ponciano FotoImagem / Sind-UTE/MG)

[23/2/17]

Veja também

Câmara de Aracaju aprova exigência de diploma para jornalistas no poder público municipal

A Câmara Municipal de Aracaju (SE) aprovou por unanimidade nesta quarta-feira 21/10, em sessão remota ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *