José Maria Rabêlo: ‘tentativa de golpe tem fisionomia própria’

O golpe de estado em curso no país tem várias semelhanças com os golpes ocorridos em 1964, no Brasil, e em 1973, no Chile, mas tem também diferenças importantes, segundo o jornalista José Maria Rabêlo. “Essa tentativa de golpe tem fisionomia própria, a grande força conspirativa da mídia”, observou Rabêlo, que “viveu por dentro, do início aos desfechos”, os golpes de 64 e 73. “Em nenhum lugar do mundo existe um oligopólio da mídia tão grande como existe no Brasil”, acrescentou.

Rabêlo, que atualmente é vice-presidente da Casa do Jornalista, criticou duramente a atuação dos grandes veículos de comunicação. “O que a Globonews, por exemplo, está fazendo não é a cobertura dos acontecimentos, é um comício 24 horas por dia contra o governo”, disse. “O que nós temos de fazer é responder, para impedir o golpe”, conclamando os jornalistas mineiros a participarem da manifestação em defesa da democracia marcada para esta sexta-feira 18/3.

Outra diferença em relação ao golpe de 64, segundo José Maria Rabêlo, é a participação dos militares. Segundo o jornalista, um dos fundadores do jornal Binômio, em Belo Horizonte, fechado pela ditadura, em 1964, os militares parecem ter aprendido e não querem mais saber de golpe. “Não é só aqui, não, é em toda a América Latina”, ressalta. Ele assinalou ainda, que, apesar de contar com o patrocínio da Fiesp, o envolvimento empresarial no golpe não é amplo.

Segundo José Maria Rabêlo, manifestações como a domingo passado, 15/3, acontecem porque a ascensão social das classes populares nos últimos anos desagrada os “donatários”, nome que ele dá aos ricos brasileiros. “Eles acham que ainda têm capitanias hereditárias e odeiam os pobres”, analisou.

Apesar dos acontecimentos dos últimos dias, Rabêlo é otimista; ele acredita que o governo Dilma está se fortalecendo e que a oposição está desmoralizada. “Esse juiz de Curitiba não podia autorizar uma escuta da presidenta da República e Aécio não pode mais falar em corrupção”, disse. “Lula traz uma força muito grand para o governo”, acrescentou.

 

(Na foto, José Maria Rabêlo, entre Ricardo Kotscho e Audálio Dantas. Crédito da foto: Mariela Guimarães.)

Veja também

SJPMG repudia censura imposta pela Rádio Favela ao professor Dirceu Greco, médico pioneiro na luta contra a AIDS

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) manifesta sua total solidariedade ao professor ...

Um comentário

  1. VANJA MARIA DUARTE BARBOSA

    Meu querido pai, falava muito de um jornalista, José Maria Rabelo na luta contra a ditadura de 64! Só pode ser ele! Tivemos que ir embora, para sua terra natal, porque tinha muitos filhos, todos pequenos! Meu pai se chamava Moacir Dias Duarte; e hoje eu e meus 7 irmãos continuamos na luta!

Deixe uma resposta para VANJA MARIA DUARTE BARBOSA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *