O Globo demite ao menos 40 profissionais em novo passaralho

Escrito por Jacqueline Patrocinio.

O início da semana está sendo conturbado para os profissionais de O Globo. Nesta segunda-feira, 7, fontes informaram ao Portal Comunique-se que ao menos 40 colaboradores teriam sido dispensados, entre baixas em Brasília e no Rio de Janeiro, tendo atingido as editorias de ‘Economia’ e ‘Rio’, além das áreas de fotografia, vídeos, online e comercial.

A apuração mostra que o jornalista Paulo Roberto Araújo, que foi chefe de reportagem do veículo, está entre os desligados. O repórter Alessandro Lo-Bianco, responsável por revelar a atuação da máfia que aliciava chineses para trabalho escravo e descobriu o esquema do uso de carne de cães na produção de pastéis no Rio de Janeiro, também foi demitido, ao lado dos colegas Matheus Carrera e Taís mendes.

A informação é de que o passaralho vai continuar e as equipes serão enxugadas em janeiro, fevereiro e março, quando novas demissões devem ser promovidas pelo diário, em um processo de integração com a Editora Globo. Procurado, o jornal preferiu que não comentar os desligamentos.

Leia Mais:
O Globo demite mais de 100 funcionários; redação sofre cerca de 30 baixas
Em reformulação, O Globo demite ao menos 30 jornalistas
Além de demissões, Infoglobo reorganiza diretorias e encerra ‘Prosa & Verso’
O Globo dispensa cinco colunistas e anuncia retorno de Artur Xexéo

Histórico de demissões
Em 8 de janeiro deste ano, 160 profissionais de O Globo foram dispensados, sendo 30 colaboradores da redação – entre repórteres e diagramadores. Na época, Arthur Xexéo, jornalista premiado e integrante da galeria ‘Mestres do Jornalismo’, do Prêmio Comunique-se, foi demitido. Nove meses depois, outra reformulação foi responsável por momentos de tensão no impresso. A Infoglobo colocou fim em 20% de seus postos de trabalho e 30 jornalistas foram dispensados apenas em O Globo. Inserido no corte, o editor executivo Pedro Doria usou a página que mantém no Facebook para explicar que deixava o cargo de chefia, onde atuava no dia a dia do veículo carioca, para seguir apenas como colunista de tecnologia da casa. A responsável pelo ‘Prosa & Verso’, a jornalista Manya Millen, também figurou na lista de cortes e o suplemento chegou ao fim.

Em setembro, os colunistas Mario Sergio Conti, José Castello, Joaquim Ferreira dos Santos, Adriana Calcanhotto e Tony Bellotto foram dispensados e Xexéo foi reintegrado. Somando os outros dois impressos da empresa, Extra e Expresso, mais profissionais da redação foram demitidos. Sobre a situação, a assessoria de comunicação da Infoglobo disse, na ocasião, que a empresa tomou a iniciativa de realizar um processo de reorganização da estrutura com objetivo de se adequar ao atual momento e às perspectivas futuras.

(Publicado no portal Comunique-se.)

 

Veja também

15 projetos de lei endurecem penas de crimes contra jornalistas no Brasil

Por Júlio Lubianco Num momento de piora da liberdade de imprensa no Brasil, pelo menos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *