Trabalhadores e estudantes voltam às ruas nesta quinta 20/8

Por reformas e contra o discurso de ódio, centrais sindicais, estudantes e movimentos sociais estão convocando a população para se manifestar nesta quinta-feira 20/8/15 em todo o país. Diferentemente das concentrações ocorridas no último domingo 16, que pregaram até o assassinato de políticos, os atos desta quinta-feira serão pacíficos, a favor da tolerância e farão propostas para melhorar a vida dos brasileiros. Os organizadores questionam também a “indignação seletiva” contra a corrupção, que poupa investigados pertencentes a partidos de direita.

Em Belo Horizonte, o “Ato em defesa da democracia, dos direitos, contra o ajuste fiscal e contra a direita” acontecerá na Praça Afonso Arinos, a partir das 16 horas. Nesta quinta, 19/8, haverá panfletagem e rádio peão a partir das 7 horas, na sede do Sindados (Rua Davi Campista, 150, Floresta).

Na segunda-feira 17/8, representantes da CUT, MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), UJS (União da Juventude Socialista), UNE (União Nacional dos Estudantes) e Intersindical concederam entrevista coletiva no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Eles informaram que já estavam confirmados atos em 12 cidades: Belo Horizonte, Belém, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

As entidades e movimentos divulgaram o seguinte manifesto, no qual defendem as reformas urbana, tributária e educacional, a democratização dos meios de comunicação e a reforma democrática do sistema político para acabar com a corrupção e ampliar a participação popular.

 

20/8 – Sairemos às ruas em todo o Brasil

Estaremos nas ruas de todo o país neste 20 de agosto em defesa dos direitos sociais, da liberdade e da democracia, contra a ofensiva da direita e por saídas populares para a crise.

– Contra o ajuste fiscal! Que os ricos paguem pela crise!

A política econômica do governo joga a conta nas costas do povo. Ao invés de atacar direitos trabalhistas, cortar investimentos sociais e aumentar os juros, defendemos que o governo ajuste as contas em cima dos mais ricos, com taxação das grandes fortunas, dividendos e remessas de lucro, além de uma auditoria da dívida pública. Somos contra o aumento das tarifas de energia, água e outros serviços básicos, que inflacionam o custo de vida dos trabalhadores. Os direitos trabalhistas precisam ser assegurados: defendemos a redução da jornada de trabalho sem redução de salários e a valorização dos aposentados com uma previdência pública, universal e sem progressividade.

– Fora Cunha: Não às pautas conservadoras e ao ataque a direitos!

Eduardo Cunha representa o retrocesso e um ataque à democracia. Transformou a Câmara dos deputados numa Casa da Intolerância e da retirada de direitos. Somos contra a pauta conservadora e antipopular imposta pelo Congresso: Terceirização, Redução da maioridade penal, Contrarreforma Política (com medidas como financiamento empresarial de campanha, restrição de participação em debates, etc.) e a Entrega do pré-sal às empresas estrangeiras. Defendemos uma Petrobrás 100% estatal. Além disso, estaremos nas ruas em defesa das liberdades: contra o racismo, a intolerância religiosa, o machismo, a LGBTfobia e a criminalização das lutas sociais.

– A saída é pela Esquerda, com o povo na rua, por Reformas Populares!

É preciso enfrentar a estrutura de desigualdades da sociedade brasileira com uma plataforma popular. Diante dos ataques, a saída será pela mobilização nas ruas, defendendo o aprofundamento da democracia e as Reformas necessárias para o Brasil: Reforma Tributária, Urbana, Agrária, Educacional, Democratização das comunicações e Reforma democrática do sistema político para acabar com a corrupção e ampliar a participação popular.

A rua é do povo!

20 de agosto em todo o Brasil!

Assinam o manifesto: Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) / Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) / Central Única dos Trabalhadores (CUT) / Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) / Intersindical – Central da Classe Trabalhadora/ Federação Única dos Petroleiros (FUP) / União Nacional dos Estudantes (UNE) / União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) / Rua – Juventude Anticapitalista / Fora do Eixo / Mídia Ninja / União da Juventude Socialista (UJS) / Juntos / Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL) / Associação Nacional de Pós Graduandos (ANPG) / Federação Nacional dos Estudantes do Ensino Técnico (Fenet) / União da Juventude Rebelião (UJR) / Uneafro / Unegro / Círculo Palmarino / União Brasileira das Mulheres (UBM) / Coletivo de Mulheres Rosas de Março / Coletivo Ação Crítica / Coletivo Cordel / Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras) / Igreja Povo de Deus em Movimento (IPDM).

Apoiam os atos os seguintes partidos: Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e Partido Comunista do Brasil (PC do B).

(Foto: manifestação em São Paulo. Crédito da foto: CUT.)

Veja também

Emissoras educativas mineiras migram da Rede Minas para a TV Cultura de SP

Emissoras de televisão educativas de Minas Gerais lideradas pela Associação Mineira de Rádio e Televisão ...

2 comentários

  1. Onde serão as manifestações na cidade de Ribeirão Preto?

  2. Antes das quatros já estarei aqui no rio dando a minha força. Então vI uma dica: PSDB…só a elite atura VC. PSDB : arrota , rota… Rota… Rota. O ódio da derrota. O povão e PT até de baixo da água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *